Documentário “Olhares sobre Pelotas – A sociedade do Charque”

“Com pesquisa, roteiro e direção de Leonardo Tajes Ferreira, e apresentação de André Pereira, o documentário “Olhares sobre Pelotas – A sociedade do Charque” traz uma análise dos elementos que possibilitaram o crescimento urbano da cidade de Pelotas. Partimos do século 18, com a contribuição de Rafael Guedes Milheira professor do departamento de Antropologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), abordando os conflitos entre europeus e as comunidades indígenas durante a exploração das terras que constituem hoje o estado do Rio Grande do Sul; Jonas Vargas, professor do departamento do curso de História da UFPel e autor do livro “Os barões do charque e suas fortunas” aborda as consequências da chegada de José Pinto Martins à região sul do estado, e a conjuntura político-econômica da sociedade pautada pelo comércio do charque e pela escravidão africana. Guilherme Pinto de Almeida, pesquisador do “Almanaque do Bicentenário de Pelotas”, traz um patamar sobre o cotidiano da freguesia de São Francisco de Paula, como também as influências arquitetônicas que marcaram cada período histórico da localidade.

Tratando sobre a cultura doceira da região, a professora do curso de Antropologia da UFPel e coordenadora do “Inventário Nacional de Referências Culturais”, Flávia Rieth, e a antropóloga Marília Floôr Kosby, integrante da equipe organizadora do Inventário. Resgatando a memória e a representatividade negra na sociedade pelotense, esta produção conta com a participação do jornalista Carlos Machado, do historiador Fábio Gonçalves e do representante do Clube Cultural Fica Ahí Pra Ir Dizendo, Raul Borges Ferreira. Chegando ao contexto social do final do século 19, temos a contribuição do historiador Daniel Barbier, que nos traz as premissas que basearam a fundação da Biblioteca Pública Pelotense e seu significado para a cultura local. Para conhecer a história da formação do segundo loteamento urbano de Pelotas assista ao documentário “Olhares sobre Pelotas – Praça Cel. Pedro Osório”, disponível em:

Ou neste link: https://www.youtube.com/watch?t=293s&v=LuSDyg964LY&fbclid=IwAR1lhxw6iCDaTERgrj3fZptppSLQsA5Rom4R3wdVzcNMg-Ryvrxn46_jT_c&app=desktop

O último adeus da Sexton Blake em Pelotas

Trago notícias: minha história em Pelotas terminou, foi ótimo ter passado os últimos meses morando naquele simples apartamento (só meu) na Duque de Caxias. Morar totalmente sozinha tem suas vantagens e desvantagens, sobre a última é a de não ter com quem contar ou segurar as pontas quando as coisas ficaram difíceis.

O lado positivo: Pelotas é uma cidade acolhedora e tudo me fazia lembrar sobre os meus livros do Gilberto Freyre e tudo que eu tinha aprendido sobre nossa identidade de colonizados na escola, com ênfase nos aspectos mais positivos e menos dramáticos. Ter ido ao festival internacional de música e para a FENADOCE foram coisas do tipo “made my day” e muito divertidas também.

Por fim, seguem minhas últimas fotos em Pelotas. De uma referência ao famoso Pagode Chinês “The Liuhe Pagoda” (Six Harmonies Pagoda) de Hangzhou, situado na província de Zhejiang na China, construído em 1165 AD durante a Song Dynasty presente no prédio arquitetônico da rodoviária de Pelotas.

De Pelotas fui para Porto Alegre onde eu e minha tia Ivone ficamos por cinco dias e lá aproveitamos bastante para conferir as últimas exposições nos principais museus da cidade, fazer uma pausa para o lanche no Chalé XV, e o mais bacana: assistir ao 3° Festival BB de Blues e Jazz e ufa! após longas caminhadas pelo centro histórico e Bom Fim e compras de livros arrumamos as malas e voltamos para Recife.

É bom voltar para casa. Nada melhor que rever a família e amigos e se preparar para o natal. 

Castelo Simões Lopes

O Castelo Simões Lopes localizado no centro histórico de Pelotas, foi construído entre 1920 e 1923 e anos atrás tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (Iphae). Em 2016, foi criada uma lei municipal para a revitalização, restauração e uso criativo de imóveis públicos. Por licitação, do ano passado, o Instituto Eckart será o responsável pelos serviços no castelo. O edital foi elaborado pela Secretaria Municipal de Cultura.

Em 1991 o imóvel foi adquirido pelo município e virou atração turística, contudo, desde 2014 está abandonado e com sua parte interna completamente deteriorada. Foi criada uma lei municipal em 2016 para a revitalização, restauração e uso criativo de imóveis públicos e isto favoreceu a propriedade que obteve financiamento para a restauração.

Por licitação, do ano passado, o Instituto Eckart será o responsável pelos serviços no castelo. De acordo com a empresa, o edital foi elaborado pela Secretaria Municipal de Cultura com o valor estimado em R$ 10 milhões, sendo prevista a entrega o prazo para o final deste ano.

Palestra sobre a Restauração do Castelo com inscrições abertas

Original aqui.

Está previsto para o mês de março palestra sobre a Restauração do Castelo Simões Lopes. O assunto é de interesse de todos, pois a edificação é de grande relevância, não só para a paisagem urbana de Pelotas, mas como testemunho cultural de uma época.

O evento aguarda um público bastante diversificado como estudantes de nível médio e universitários das mais variadas áreas, bem como arquitetos, engenheiros, arqueólogos, historiadores e principalmente a comunidade que está na expectativa para que o Castelo seja colocado para visitação o mais breve possível.

Dá para antecipar que entre outros temas, dois pontos serão objeto de provocação: a questão da gestão do projeto de restauração e as definições entre o uso da edificação e os critérios de intervenção; o segundo, os aspectos técnicos da elaboração do projeto. Embora aborde os aspectos técnicos importantes, a palestra também, pretende alinhavar questões históricas e filosóficas que fundamentam a restauração de um patrimônio e o que tudo isso significa para o relacionamento e os novos horizontes culturais que se desenvolve.

Mais informações podem ser obtidas pelo Telefone/WhatsApp (51)99358.0084, 51 3470.6218 ou pelo email atendimento@institutoeckart.com.br. Instituto Eckart, Cultura feita com planejamento, planejamento para a Cultura chegar a todos.

Consegui fazer algumas fotos da área interna e externa do Castelo com um certo esforço e dificuldade para entrar. Espero que gostem!