Primeiras impressões: Santa Clarita Diet

Confesso que por conta das inúmeras coisas para fazer estou sem tempo para acompanhar séries e ver filmes com tanta frequência. Por sugestão de amigos resolvi assistir Santa Clarita Diet que estreou no Netflix Brasil ano passado e que já está na terceira temporada. O plano é fazer uma daquelas maratonas com um balde enorme de pipoca e assistir todas as temporadas de uma vez.

A razão disso? A série parece ser bem interessante misturando elementos comuns em seriados e filmes americanos como a vida no subúrbio (lembrando que diferente do Brasil, viver em um subúrbio nos Estados Unidos é considerado ter uma vida de alto padrão, pois os subúrbios, áreas urbanas afastadas do centro da cidade são como condomínios fechados e de luxo com aquelas casas enormes, piscina com direito ao American Way Life que se mantém forte como nunca) e elementos de terror de um jeito bastante cômico.

É o cotidiano de um jovem casal contado a partir de ótimos diálogos e a inclusão de vizinhos e amigos. A vida em casado pode ser interessante, mas nada é tão cômico que algumas cenas que remetem a filmes caseiros de terror que surgem de situações comuns. 

Quando ela fica dependente de ter que comer mortos todos os dias para se sentir nutrida o modo como o casal lida com tal mudança nutricional, algo como passar a ser vegano trocando apenas as verduras por pés, vísceras humanas ou outras partes do corpo devoradas sem tempero ou cozimento. 

Nós te entendemos!

Adorei ver a Drew Barrymore em uma série da Netflix. O ator que interpreta seu marido (Timothy Olyphant) é um gatinho e os demais atores e figurantes são ótimos. Vou continuar assistindo e quem sabe atualizo este post com novos comentários.

Deixe uma resposta