Atualizações: novos estudos e novidades

Após meses de estudos sobre Maria Deraismes, fundadora do “LE DROIT HUMAIN” – OMMILDH sediada em Paris, em que eu aprendi muito sobre a relevância de se discutir, reafirmar e defender os direitos humanos e universais especialmente das mulheres e demais grupos em situação de vulnerabilidade social e de se lutar para que as mulheres consigam estar em lugares em que historicamente foram segregadas, como “tarefa” eu tinha que ter ido até a sede da OMMILDH em Paris afim de participar de um dos eventos realizados pelas membras da organização, o que ainda não foi possível, mas farei disso um dos meus objetivos de vida e sonhos para ser realizados enquanto eu viver.

 

Para quem não acompanhou meus estudos anteriores, outras mulheres que estudei foram: Sofia Andresen, que por sorte consegui fazer alguns dos seus percursos em vida quando estive em Portugal em 2014 e conhecer seus pensamentos e obras, que se desdobraram em propostas pedagógicas que faziam referência ao fundo do mar, Hannah Arendt e sua contribuição para a filosofia da educação e os direitos humanos, a Maria Montessori por meio do estudo de sua vida, família e relacionamentos, a escola fundada na Itália, suas ideias que revolucionaram a educação das crianças e pude ler alguns dos seus trabalhos.

Outras mulheres estudadas por mim foram também Lou Salomé, Anne Frank (onde pude reviver suas memórias e lembranças em seu diário guardado pelo seu pai), Frida Kahlo, suas dores, pensamentos e relacionamentos e, por último Maya Angelou e Aufred Hepburn.

Infelizmente não consegui conhecer a escola onde Montessori começou seus trabalhos como professora e pesquisadora, quem sabe algum dia 🙂

Enquanto esse sonho não se realiza começo a partir de hoje meus estudos sobre a santa Hildegarda de Bingen, também conhecida como Sibila do Reno, foi uma monja beneditina, mística, teóloga, compositora, pregadora, naturalista, médica informal, poetisa, dramaturga, escritora alemã e mestra do Mosteiro de Rupertsberg em Bingen am Rhein, na Alemanha. Foi canonizada com uma santa e considerada a quarta doutora da Igreja, título à ela concebido pelo Papa Bento XVI em 7 outubro de 2012.

Para isso, a primeira lição é assistir o filme da aclamada diretora alemã Margaret Von Trotta de 2009 “Vision” e ler seus escritos: Opera minora I e II, Werker Band IV, Beate Hildegardis Cause et cure e outras biografias secundárias, como por exemplo, Life of Jutta dentre outros materiais disponibilizados na internet.

Meu próximo objetivo será viajar até o linda Igreja de Santa Hildegard na Alemanha e quem até sabe me casar lá! 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

About the Author

Rafaela da Silva Melo

31 anos, Pedagoga, apaixonada por livros, filmes, músicas, quadrinhos, animais, natureza, boa comida e viagens.

Deixe uma resposta