Em cada término de relacionamento há uma chance de aprender, rever os erros e crescer com isso

Términos de relacionamentos são sempre tristes, com muito drama e lágrimas envolvidas. Pode parecer algo muito antiquado, mas eu ainda sou daquelas que se apaixonam, se envolvem… E claro, quebram a cara. Na maioria das vezes o problema pode ter sido fruto de outros pequenos problemas que vão sendo ignorados durante a relação. 

Eu confesso que odeio relacionamentos descartáveis, do tipo miojo ou fast-food em que se acaba tão rápido como se começa. No meio de um relacionamento nós dizemos muitas coisas, planejamos muitas coisas e até acreditamos e confiamos que pode dar certo. Com medo ou não… Ainda acho que vale a pena se entregar e confiar em alguém, mesmo que termine rápido. 

Meu último namoro durou algumas semanas. Foram inúmeros os e-mails trocados, muitas conversas que não queriam ter fim, muitas mensagens profundas que apenas eram algo momentâneo. Para mim toda forma de expressar o amor e válida, e eu também aprendi a reconhecer os meus erros na relação que não deu certo para não cometê-los em um futuro relacionamento.

Quando falta contato real é muito difícil levar um relacionamento adiante, por inúmeros motivos. Aqueles momentos em que faltam palavras e tudo que seria necessário era beijos, abraços e coisas mais. Ou quanto tudo está confuso demais e não se consegue dar outros passos que faria a relação melhorar. Ou quando tudo está louco e errado, e você perdeu a noção de todas as coisas.  

Eu também acredito que Deus coloca pessoas em nosso caminho para que juntas possamos ser mais fortes ou trocar algo, nem sempre dá certo e em outros casos acabamos por tomar todas as dores e os fardos do outro para nós mesmas. Em outros casos é como se Deus estivesse colocado pessoas especiais e parecidas conosco em alguma medida para nos ajudar em algo ou apenas para nos lembrar de quem nós somos ou da nossa missão ou sonhos.

Mas há também pessoas que causam um enorme impacto em nossas vidas seja positivo ou negativo. Há términos que causam enorme tristeza e amargura em nossas vidas outros términos são para o nosso próprio bem. Eu deixei de ter medo da solidão, o que sempre foi o meu maior fantasma. Hoje eu tento lidar com isso como um daqueles problemas temporários: falta de dinheiro, de tempo para lazer, falta de alguém para desabafar… Enfim, como uma dificuldade a ser superada. 

É triste quando aquela pessoa que você depositou teu amor e carinho diz algo como: “vá embora da minha vida” sem explicar o porque (algo que só o coração conhece e nem vale a pena tentar enumerar os motivos quando só se tem algo vago deixado no ar. Já dizia o velho ditado: “quando um não quer, dois não dançam” ou “quando não quer qualquer desculpa serve”. Isso é normal nos relacionamentos que começam. Nos conhecemos, vamos conversando e se envolvendo… Mas… tem aquele mais. Aquele mais que significa que não era bem aquilo que deveria ser, ou que não era a pessoa certa ou o momento certo.

Li uma vez uma frase que dizia “talvez um dia a gente se encontre com o coração mais maduro e sabendo o que quer fazer”.  Em alguns relacionamentos se manter juntos e fortes sob circunstâncias extremas é uma questão de força e exige as mais sofisticadas habilidades emocionais, mentais e psíquicas. Se um casal consegue suportar tantos obstáculos e provações… Há uma chance deste ser um daqueles amores que irão durar para sempre e por outras encarnações. Amar é somente para os fortes como já dizia um velho conhecido. 

Desta vez eu lutei muito, mas perdi a batalha. Talvez na próxima seja tudo diferente. 

About the Author

Rafaela da Silva Melo

31 anos, Pedagoga, apaixonada por livros, filmes, músicas, quadrinhos, animais, natureza, boa comida e viagens.

Deixe uma resposta