Carta Aberta de Despedida Quando podemos dizer adeus?

Caros “amigos de brinquedo”:

Não nascemos sabendo “dar tchau”, ou dizer adeus. Quando ainda somos pequenos, o gesto que fazemos com a mão para “dar tchau” é, de fato, como disséssemos “vem, fica”: um movimento de chamada, porque ainda não podemos nos separar, uma vez que não compreendemos a ausência. Mas, à medida que crescemos, tornamo-nos capazes de abanar e nos despedir, porque, então, já é possível dizer “não” à presença com a mão. Isso só ocorre quando somos capazes de levar dentro de nós o objeto do nosso interesse, do nosso amor, para onde formos, e porque temos a crença de que ocupamos um lugar no seu coração.

Após quase 38 anos de trabalho docente, com a chegada da aposentadoria, é hora de dizer adeus às atividades realizadas na Faculdade de Educação (FACED) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Ao longo desses anos, a FACED foi uma bússola, orientando o próprio sentido de minha vida. Onde quer que esteja, busco com o olhar seu grande prédio azul, tal como tive que fazer da primeira vez em que nela entrei, para cursar a Licenciatura em Pedagogia, em 1982.

Na UFRGS trabalhando desde 1991, além das aulas na área de Psicologia da Educação e das atividades administrativas e representativas desempenhadas em diversos espaços da Universidade, criei e dirigi o Programa de Extensão Universitária “Quem quer brincar?”, que, em sua 21. Edição, comemora 20 anos de existência. Palestras, cursos, grupos de estudo, visitas lúdicas, pesquisas, assessorias, a brinquedoteca universitária, o mural, o site e este informativo eletrônico constituem o Programa, que, por sua vez, é feito de pessoas – milhares de bolsistas, colaboradores voluntários, professores, funcionários, terceirizados, estudantes e educadores em geral. Sobretudo, é feito dos sonhos de todas essas pessoas que acreditam na importância de formar para brincar e para valorizar o brincar.

Convicta de que minhas atividades como professora e de que as ações empreendidas pelo “Quem quer brincar?” contribuíram decisivamente para transformar vidas e melhorar o mundo, ajudando a dar novos sentidos ao ensinar, brincar, crescer e aprender, encerro essa caminhada com serenidade e satisfação. A certeza de que o Programa continuará vivo enquanto sua vida tiver sentido para quem nele atuar e dele usufruir, libera-me para viver um outro momento de vida, no qual, sem deixar de ser professora – porque este é para mim um modo de ser e de viver –  o trabalho docente na Universidade não é mais o centro.

Parafraseando o que escreve Jorge Luiz Borges sobre suas viagens, no prólogo ao livro Atlas, posso afirmar que, nessa aventura, partilhei com alegria e assombro um verdadeiro tesouro. Gostaria que a presente carta de despedida aos milhares de “amigos de brinquedo” do informativo eletrônico do “Quem quer brincar?”, em sua edição final, expressasse minha gratidão aos “companheiros de viagem” e fosse um bom augúrio a essa vasta aventura, que prossegue!

Nas mãos de seu Conselho Curador, formado por colegas comprometidos de muitas e diferentes maneiras com a “causa lúdica”, com uma Direção da FACED fortemente apoiadora e que reconhece sua importância institucional, sob a Coordenação Geral da Profa. Dra. Marília Forgearini Nunes, com a Coordenação Adjunta da Profa. Dra. Renata Sperrhake, e com a experiente colaboração de seus bolsistas e voluntários, o Programa de Extensão Universitária “Quem quer brincar?” prossegue, acolhendo os sonhos e o assumindo o feitio de sua nova Coordenação.

Agora já posso dizer adeus, pois sei que a UFRGS, a FACED e o Programa seguem dentro de mim, onde quer que eu vá, e sei de meu lugar em seu coração, isto é, no coração daqueles que fazem e são a UFRGS, a FACED e o “Quem quer brincar?”.

Tânia Ramos Fortuna

UFRGS, 25 de novembro de 2019.

Entrevista com Tânia Ramos Fortuna: a persistente trajetória de uma eterna brincante

A última edição do boletim informativo de 2019 coincide com um momento de homenagem e despedida. A Revista da Extensão, publicação da Pró-reitoria de Extensão da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PROREXT/UFGRS), em sua edição de novembro de 2019 entrevistou a Profª Drª Tânia Ramos Fortuna, Coordenadora do Programa de Extensão Universitária “Quem quer brincar?” (RS/BR). 

Ex-presidente da Câmara de Extensão, Tânia Ramos Fortuna é coordenadora de um dos maiores e mais antigos programas de extensão da UFRGS, o “Quem Quer Brincar?”. Em 2019, o projeto completa 20 anos de atividades ininterruptas. Nesta entrevista, concedida na Brinquedoteca (sede física do programa) da Faculdade de Educação, a docente nos conta sobre a sua marcante e persistente trajetória profissional, que está se encerrando na Universidade no final deste ano. Um caminho marcado pela defesa da brincadeira e da extensão como duas poderosas ferramentas na formação não apenas de alunos, mas de educadores.

Deixe uma resposta