Trabalhos acadêmicos

Título O perfil da formação docente na educação infantil do RS e os desafios para as políticas públicas
Autor Melo, Rafaela da Silva
Orientador Carvalho, Marie Jane Soares
Co-orientador Felipe, Jane
Data 2015
Nível Graduação
Instituição Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Curso de Pedagogia: Licenciatura.
Assunto Educação infantil
Estatistica educacional
Formação de professores
Políticas públicas
Resumo Este Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) tem por objetivo apresentar o perfil da formação docente da Educação Infantil no Estado do RS e discutir os principais desafios colocados pelas políticas de formação e valorização das docentes desta etapa da Educação Básica. Como aporte teórico se discute os marcos históricos e legais da Educação Infantil no Brasil, as políticas de formação docente na Educação Infantil no cenário nacional e no Rio Grande do Sul e as representações do perfil das docentes que atuam nesta etapa da Educação Básica. A pesquisa de abordagem quantitativa e qualitativa faz uma análise descritiva do perfil de formação das docentes com base nos dados coletados no Educacenso 2014 disponíveis na plataforma de visualização de dados estatísticos da formação docente CultivEduca, visando apontar os desafios para as políticas de formação docente na Educação Infantil no RS. Na etapa da análise dos dados, apresenta o perfil demográfico dos/as docentes que atuam na Educação Infantil da rede estadual, municipal, privada e conveniada do RS e compara o perfil da formação inicial, pós-graduação e formação continuada desses/as docentes entre as dependências administrativas. A partir destes dados, os principais desafios para as políticas públicas da formação docente na Educação Infantil do RS são: 1) garantir a formação inicial para as docentes que atuam especialmente na rede privada onde 35,9% docentes possuem o normal médio e na rede conveniada onde 51,6% dos docentes possuem o normal médio e o ensino médio (sem habilitação para a docência na Educação Infantil); 2) oferecer cursos pós-graduação e formação continuada voltados para especificidades das crianças de 0 a 6 anos em todas as dependências administrativas. O trabalho oferece contribuições para os gestores, formuladores de políticas públicas, pesquisadores da área e entidades da sociedade civil no debate sobre a necessidade de maior investimento na formação inicial, Pós-Graduação e Formação Continuada dos docentes que atuam com crianças dos 0 aos 6 anos no Rio Grande do Sul.
Tipo Trabalho de conclusão de graduação
URI http://hdl.handle.net/10183/133624

 

Projeto de Dissertação de Mestrado: SMARTBABIES: Tecnologias Móveis na produção de culturas para infância

 

RESUMO

Esta pesquisa em andamento analisa tecnologias móveis produzidas para bebês e crianças pequenas, com intuito de melhor compreender e problematizar como estes incidem sobre as culturas da infância na contemporaneidade. O estudo se situa no campo dos Estudos sobre as Infâncias Contemporâneas com abordagem interdisciplinar que abrange a Antropologia da Criança (Cohn e Gottlieb), Sociologia da Infância (Barbosa, Sarmento & Pinto, Corsaro, James, Jenk e Prout), estudos sobre a relação entre mídia, consumo e infância (Linn, Kincheloe & Steinberg, Giroux e Naradowski), e ainda recomendações e discussões da pediatria sobre a utilização de tecnologias precoce por bebês e crianças pequenas (Chrisrtakis, Kabali e Academia Americana de Pediatria). A pesquisa se caracteriza como qualitativa, utilizando como procedimento de coleta, o levantamento documental dos anúncios e manuais técnicos de 10 tablets infantis. A partir da coleta de dados foram criadas três categorias para análise: a) avaliação geral da qualidade do equipamento; b) análise dos anúncios dos equipamentos; c) análise das “promessas pedagógicas” utilizadas pelas empresas para argumentar e convencer as famílias de que o produto possui um potencial de “educar” crianças. Na primeira categoria, constatei que a maioria dos tablets infantis são de baixa qualidade, não informam classificação etária e utilizam-se de marcas licenciadas (personagens infantis) para tornar o produto mais atraente. Os tablets são fabricados com componentes perigosos e comercializados como “brinquedos”, que pode oferecer sérios riscos à saúde e a segurança das crianças. Na análise dos anúncios, constatei práticas de venda casada, incentivo à exposição de crianças em redes sociais e práticas de “selfies”, incentivo ao uso dos tablets por bebês para substituição dos brinquedos, além do consumo de supérfluos. Sobre as “promessas pedagógicas”, algumas empresas e anunciantes mencionam o potencial de “distração” que as tecnologias móveis proporcionam para as crianças, bem como a promessas educativas (alfabetização, raciocínio lógico, desenvolvimento motor, etc.), sem a apresentação de qualquer estudo ou certificação que comprove tal efeito. Os resultados parciais apontam que a crescente utilização de dispositivos móveis por bebês e crianças pequenas carece de maiores investigações no cenário nacional, o que abre um novo campo de possibilidades para os estudos sobre as infâncias contemporânea, pois o acesso de crianças cada vez mais cedo a tantas informações e estímulos, bem como as configurações contemporâneas de família, trabalho, relacionamentos são aspectos a serem considerados para a compreensão das culturas infantis mediadas pelas tecnologias móveis. Para os educadores, o acesso das crianças as tecnologias móveis em sala de aula coloca novos desafios, como por exemplo, o desejo das crianças pela virtualização da realidade em oposição as demais atividades, os inúmeros estímulos sensoriais dos equipamentos que causam redução do foco, isolamento, sedentarismo e consequências para a saúde das crianças (obesidade infantil, depressão, diabetes, etc.). E ainda aponta a necessidade de um trabalho intensivo junto às crianças e famílias na problematização dos imperativos ao consumo excessivo.

Palavras-chave: Infâncias; Tecnologias Móveis; Cibercultura.

Apresentação do Projeto de Dissertação de Mestrado disponível para download aqui.


Memorial Descritivo para seleção do Mestrado disponível aqui.