Rafaela da Silva Melo

Cobertura Fotográfica – OpenStack Day – 4th Birthday OpenStack BR

No último sábado (26 de julho) aconteceu na FTEC de Porto Alegre o primeiro meetup OpenStack no Brasil. Neste mesmo dia,  foi comemorado o 4º aniversário do OpenStack com direito a um bolo patrocinado pela Fundação OpenStack. Esta comemoração ocorreu concomitantemente com outros países do mundo, envolvendo muitos participantes e palestrantes. Confira o que rolou no OpenStack Day em Porto Alegre. Fotografia: Rafaela Melo e Breno Neves.








Publicação: Periódico Texto Livre Linguagem e Tecnologia – v.7, ano. 1 – 2014

Oi, pessoal! Acabou de sair mais um artigo fresquinho. Desta vez apresentamos o Universo Móvel, um aplicativo educacional livre desenvolvido como apoio didático-pedagógico para o ensino da Astronomia. Vale a pena conferir!

UNIVERSO MÓVEL: UM APLICATIVO EDUCACIONAL LIVRE PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS
Breno Gonçalves Bragatti Neves, Rafaela da Silva Melo, André Ferreira Machado

Resumo

Este artigo tem como propósito apresentar o Universo Móvel, um aplicativo educacional livre para uso em dispositivos móveis (tablets e smartphones) que tem por objetivo aproximar estudantes do Ensino Fundamental e Médio das noções de Astronomia e contribuir na transposição dos conhecimentos produzidos pelo campo da Astronomia para as novas tecnologias digitais. Serão apresentadas aqui as ferramentas e as linguagens de programação utilizadas em sua construção e, ainda, as possibilidades oferecidas pelo aplicativo para a aprendizagem móvel, conceito que além da utilização de aplicativos e dispositivos, envolve a apropriação criativa de ferramentas e linguagens para a produção e compartilhamento de conhecimento e tecnologias livres.

Para ver o artigo artigo na íntegra, acesse:  http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/textolivre/article/view/5521

Para baixar o aplicativo: http://gesole.org/universomovel/

E voi là!

Viagem à Lua (Le voyage dans la lune)

Título Original: Le voyage dans la lune
Ano/País/Gênero/Duração: 1902 / França / Curta / 14 min
Direção: Georges Méliès
Produção: Georges Méliès
Roteiro: Jules Verne e Georges Méliès
Fotografia: Michaut

Link para filme completo em Português.

Este curta-metragem de Georges Melies mostra uma das visões fantasiosas que os homens possuíam da Lua nos primeiros anos do século XX. Uma expedição formada por corajosos homens vai para o satélite da Terra, onde encontra seres nada amistosos, são capturados e devem fugir para retornar ao nosso planeta.

Um filme realmente incrível! Trilha sonora de Air.

François Truffaut: os filmes de uma vida da Sala Redenção na UFRGS

Em julho e agosto a programação da Sala Redenção contempla três capítulos do livro Os filmes de minha vida*, de François Truffaut. No início de julho exibiremos filmes de Douglas Sirk, Charles Vidor e Billy Wilder e para finalizar será exibido o capítulo dos filmes americanos. A segunda parte será dedicada aos franceses – Claude Autant-Lara, Jacques Becker, René Clément, Henri-George Clouzout, Albert Lamourisse, Max Ophüls e Jacques Tati – e a terceira introduzirá dois diretores do capítulo intitulado por Truffaut de Alguns Outsiders.  Serão exibidos deste capítulo filmes de Igmar Bergman e Luis Buñuel.

A exibição dos filmes é gratuita e integra a comemoração dos 80 anos da Universidade.

Confira a programação completa: http://www.difusaocultural.ufrgs.br/projeto.php?id=3

Aviso-lhes que das 16h às 22h de segunda à sexta minha agenda estará lotada. =)

Publicação: Revista Tecnologias na Educação – Ano 6 – número 10 – Julho de 2014.

Olá pessoal! Final de semestre sempre tem novidades. Saiu essa semana uma publicação minha em parceria com o Breno Neves que apresenta uma discussão e algumas possibilidades de uso educacional dos dispositivos móveis, tão presentes em muitas salas de aula e em nosso cotidiano.

Título: Aplicativos Educacionais Livres para Mobile Learning

Autores: Rafaela da Silva Melo e Breno Gonçalves Bragatti Neves

Resumo: Este artigo apresenta o levantamento e identificação dos aplicativos educacionais livres para uso em dispositivos móveis do repositório FOSS Apps para Android (F-Droid), como proposta de apoio e promoção da aprendizagem móvel mediada por tecnologias livres. Os dados referentes aos aplicativos coletados foram sistematizados, categorizados, catalogados e apresentados a partir dos níveis de ensino aos quais os aplicativos são indicados, as áreas de conhecimento que contemplam e as possibilidades didáticas que estes apresentam para a aprendizagem móvel a partir da criação de novos contextos de aprendizagem através da interconexão entre pessoas, tecnologias e ambientes.

Palavras-chaves: TIC’s; Tecnologias Livres; Mobile Learning.

Para ler o artigo na íntegra: http://tecnologiasnaeducacao.pro.br/?page_id=605

Publicação na Anagrama: Revista Científica Interdisciplinar da Graduação, Vol. 8, No 2 (2014)

Olá pessoal!

Saiu por estes dias um artigo meu em parceria com outros colegas na Revista Anagrama da USP.

Crianças Mobile: tecnologias móveis e as novas estratégias de marketing infantil

Autores: Rafaela da Silva Melo, Breno Gonçalves Bragatti Neves e André Ferreira Machado

Resumo: Este estudo tem como proposta investigar as novas técnicas e estratégias utilizadas por empresas desenvolvedoras de aplicativos que, para conquistar o público infantil e seus familiares, têm se valido de uma ampla gama de recursos que vão muito além da propaganda convencional. Para investigação, realizamos o levantamento dos 10 aplicativos infantis gratuitos em língua portuguesa mais instalados na loja de aplicativos Play Store da Google pelos usuários do sistema operacional móvel Android durante o ano de 2013, buscando investigar as principais estratégias de marketing infantil presentes nos anúncios e nos aplicativos, visando assim a contribuir para o debate sobre a relação entre as infâncias, as mídias e tecnologias digitais e o consumo na contemporaneidade.

Ler o artigo na íntegrahttp://www.revistas.univerciencia.org/index.php/anagrama/article/view/8714

Série fotográfica mostra o que pessoas de diferentes países comem num dia

Imagine fotografar tudo, absolutamente tudo o que você come diariamente. Agora, imagine comparar a sua foto com a de outras pessoas ao redor do mundo. É esse choque cultural que propõe o livro What I Eat: Around the World in 80 Diets, de Peter Menzel.

O autor e fotógrafo americano registrou os alimentos que 80 pessoas de 30 países diferentes costumam consumir num único dia. Essa fascinante viagem nos traz um registro impactante de hábitos e possibilidades que o mundo separa. “Tentamos escolher as pessoas que eram fortes (fisicamente) e, em seguida, pessoas mais frágeis”, diz Menzel, que comentou o desejo de ver o livro como uma ferramenta.

“O americano precisa aprender e usar o pensamento racional e a ideia de gostos diferentes. Descobrir o que outras pessoas estão fazendo  e talvez corrigir alguns dos nossos próprios hábitos – especialmente os maus hábitos”, destaca.

bike-msgr

O livro contém histórias detalhadas sobre os personagens. De um lutador de sumô japonês até um renomado chef espanhol, cada registro é uma inspiração para quem deseja buscar novas possibilidades de alimentação ou simplesmente é amante de fotografia.

BOT-090315-122-xxw

comida1

CAN_061009_213_xxw_xlarge

CHI-060613-155-xxw

comida2

CROPPEDCHI_060609_795_xxw

CROPPEDIND_081208_441_xxw

egy_080322_157_xxw_slide-e1ae4ef4ba39ecf7d0b1bf423e0548cb4399ee97-s6-c30

GER-080319-094-xxw

ISR-081026-121-xxw

menzel1

menzel6

PAL_081025_100_xxw_xlarge

Fonte: Hypeness.

 

Fotógrafo mostra crianças e seus brinquedos em 58 países

O fotógrafo italiano Gabriele Galimberti criou o projeto Toy Stories, no qual fez imagens de crianças do mundo todo cercadas por seus objetos favoritos, os brinquedos.

De acordo com Galimberti, um traço em comum era como os brinquedos refletiam o ambiente da criança. Uma menina de uma família rica de Mumbai, por exemplo, adora o jogo Banco Imobiliário, por gostar da ideia de construir casas e hotéis.

Mas, Ralf, de quatro anos e que mora em Riga, na Letônia quer ser campeão de Fórmula 1. A mãe dele é motorista de táxi.

O fotógrafo também notou diferenças entre as crianças na forma como se relacionam com seus brinquedos.

“As crianças mais ricas eram mais possessivas. No começo não me deixavam tocar nos brinquedos e eu precisava de mais tempo antes de elas me deixarem brincar”, disse.

“Nos países pobres era muito mais fácil. Mesmo se elas tivessem apenas dois ou três brinquedos, elas não se importavam (comigo tocando os brinquedos)”, acrescentou.

Em suas viagens, Galimberti mostrou desde crianças nos Estados Unidos, em quartos espaçosos e cercadas de brinquedos, até crianças em cabanas na África, com poucos objetos geralmente doados ou encontrados nas ruas.

Fonte: BBC.