Sobre filmes e sonhos: Amigas de Colégio (Fucking Amal)

Eu gostaria de compartilhar um filme muito importante para minha vida apesar do título um tanto “controverso” para os falantes de língua portuguesa e inglesa, mas que trata de temas que para algumas pessoas são muito delicados, de um modo leve e muito familiar.

Neste filme, a homossexualidade não é um problema a ser combatido, mas sim, vivido. Na verdade esta palavra sequer é mencionada no filme. A atração de uma adolescente por Elin, é algo que vai surgindo de uma forma natural, no processo de constituição da identidade desta personagem.

O filme é especial para mim por muitos motivos: através dele eu pude conhecer muitas coisas que hoje me fazem ser o que eu sou, embora não seja homossexual. É como se este filme tivesse aberto portas em minha mente para novos conhecimentos que me tornaram uma pessoa mais respeitosa, empática e aberta a diferença e a diversidade dos modos de ser, pois assim como a

Assim como eu, Agnes eu era uma adolescente que vivia em um bairro afastado do centro da cidade com poucas opções de lazer, até hoje sonho em construir uma livraria com um cafezinho lá e claro, com ótimas músicas de som ambiente. Ainda não consegui realizar este sonho… mas espero que um dia este se torne real.

Lembro-me que me tornei muito fã do Broder Daniel e de várias bandas de indie sueco, as quais curto até hoje!

Atualmente estou morando em outro Estado (no Rio Grande do Sul) por questões de estudos, casamento, etc., mas o sonho de abrir uma livraria naquele estilo sueco ou francês e uma cafeteria no bairro onde eu cresci ainda permanece em mim.

Quando estive no Uruguai em 2012 e 2013 conheci algumas livrarias e bibliotecas. Umas do tipo majestosas e outras muito simples, todas estas com ótimos títulos.

Esta, por exemplo, a Babilonia Libros, me pareceu muito encantadora. Um teto de vidro, transparente para absorver e aproveitar o máximo a luz natural, algumas plantas e claro, uma diversidade imensa de livros, títulos e temas.

Créditos: https://quantocustaviajar.com/blog/babilonia-libros-montevideu/

E a Librería Puro Verso, que é muito encantadora e acolhedora:

Créditos: https://libreriapuroverso.files.wordpress.com

E esta quando estive lá em 2013 durante o feriado de carnaval.

Mesmo tendo ouvido de algumas pessoas: “ uma livraria na UR-5? Pra quê? vai ficar vazia; vai falir; ninguém vai entrar lá; ninguém é culto, lá é pei pei pei” eu realmente duvido muito disso e acredito que muitas pessoas irão lá, nem que seja por curiosidade e será um lugarzinho muito especial para aquele bairro, como um oásis, como um universo particular, como um relicário, como um pequeno esconderijo.

Estamos em 2018 e eu ainda não consegui criar isso, tentei expressar-me através de um blog muito antigo… mas não consegui executar este objetivo, quem sabe eu não consiga um dia.

Sinopse do filme:

Fucking Amail (Garotas do Colégio/Show me Love) conta a história de uma adolescente, Agnes, que se mudou com a família para uma pequena cidade sueca chamada Amal, o lugar mais chato da terra, segundo ela mesma. Agnes não consegue fazer amigos no colégio e sua companheira na sala é uma garota que vive em uma cadeira de rodas.

Para complicar ainda mais as coisas, ela está apaixonada por Elin, uma garota do colégio, porém o único a saber desta paixão é seu computador, onde ela faz todas as suas anotações. No dia de seu aniversário, Agnes não percebe que a irmã mais velha de Elin descobre suas anotações e faz uma aposta com a irmã: se ela deixar Agnes beijá-la, pagará à irmã 20 cronas (moeda sueca). Este é só o começo de uma série de situações vividas por essas adolescentes nesta pacata cidade.

O filme ganhou o prêmio de Melhor Filme Gay/Lésbico no Festival de Berlim 1999.

A ficha técnica do filme pode ser consultada aqui.

Curiosidades:

    1. Também recomendo o disco “200 km/h in the Wrong Lane” da banda russa “T.a.T.U” que foi produzido na mesma época e também trata de questões envolvendo relacionamento entre pessoas do mesmo sexo em um país como a Rússia de religião ortodoxa.
    2. Uma das atrizes do filme Fucking Amail, Alexandra Dahlström trabalhou como tradutora de Russo e também participou de uma série: Covert Affair — Assuntos Confidenciais (2010–2014) dirigida por Alexander Soloviev com uma sinopse muito instigadora.

“Uma jovem agente/estagiária da CIA, Annie Walker, é enviada para o campo para trabalhar na Divisão de Proteção Doméstica. Auggie Anderson é um agente cego da tecnologia e é o guia de Walker em sua nova vida na CIA” que ela trabalha no Museu Smithsonian”.

Ainda não assisti a série, mas irei procurá-la para ver melhor. Quanto as outras atrizes, vou dedicar outro post para escrever mais sobre o trabalho delas e o do próprio Lukas Moodysson que está prestes a estrear uma série pela HBO.

Aguardem!

 

 

Lukas Moodysson será o diretor do primeiro seriado Nórdico da HBO

Vilhelm Blomgren faz sua estréia na TV drama na série de oito episódios escrita e dirigida por Lukas Moodysson para Memfis Film.

Blomgren é um ator e cantor sueco estabelecido que tocou nos musicais Hair na Opera House em Göteborg e em My Fair Lady no City Theatre em Stockholm. Na próxima série de TV de Moodysson, ele interpreta o psicólogo infantil Gösta, de 28 anos, que consegue seu primeiro emprego em uma pequena cidade rural. Ele quer ser a pessoa mais gentil do mundo e ajudar todo mundo que conhece, mas nem sempre acontece conforme o planejado.

Outros atores importantes do elencos são Amy Deasismont, Mattias Silvell, Clara Christiansson, Regina Lund, Elisabet Carlsson, Nidhal Fares e Gustav Berg.

A série de comédia 8×45 é produzida por Lars Jönsson, da Memfis Film e por Hanne Palmquist, produtora executiva da HBO, Steve Matthews e Antony Root.

Gösta está atualmente filmando nas florestas Småland; estreia na HBO Nordic e nos territórios da HBO Europe no outono de 2019.

Programação do mês de julho – CINE UFPEL

CINECLUBE DA LUA | 03.07, TERÇA às 19H 
Dir: Productora Comunicación Social                                     (Chile, Doc, 2014, 1h20)
O documentário “MIAU: Movimiento Insurrecto por la Autonomia de Una misma”, faz parte de um grupo de mulheres que se reúne todas as noites para estudar e trabalhar a fim de construir a autonomia básica de seus corpos femininos. E faz isso em solidariedade, porque é mais divertido do que se libertar sozinha. O MIAU é dedicado a todas as mulheres e bruxas que lutam pela liberdade. E como não há lutadora que não é perseguida pelo poder, todas aquelas que foram mortas, perseguidas e torturadas vivem em nossas almas guerreiras.

Classificação: Livre

SESSÃO SESC | 04.07, QUARTA às 19H 
Dir: Eduardo Coutinho                                                            (Brasil, Doc, 2015, 1h27)
Realizado a partir de entrevistas feitas por Eduardo Coutinho com jovens cursando o terceiro ano do ensino médio em escolas públicas, Últimas conversas busca entender como pensam, sonham e vivem os adolescentes. Os pesquisadores Laura Liuzzi e Geraldo Pereira visitaram 12 escolas e realizaram pré-entrevistas com 97 adolescentes. Desses, 28 foram filmados por Coutinho, dos quais nove entraram no corte final. O diretor (morto em fevereiro de 2014, antes do início da montagem) chegou a ver todo o material filmado e deixou um caderno com anotações feitas a partir das transcrições das entrevistas. Últimas conversas foi editado por Jordana Berg, parceira de Coutinho desde Santo forte (1998), e a versão final é de João Moreira Salles, produtor deste e dos nove filmes anteriores de Coutinho.

Classificação: 12 anos

RESGATE CINECLUBE | 05.07, QUINTA às 19H 
Dir: Ernst Lubitsch                                                               (EUA, Ficção, 1933, 1h31)
O dramaturgo Tom e o artista plástico George dividem um apartamento em Paris. Quando conhecem Gilda, outra americana que mora na cidade, eles se apaixonam por ela. Gilda, contudo, não consegue decidir-se por nenhum deles e lhes propõe morar com ambos, numa relação puramente platônica, em que ela seria apenas amiga e crítica. Todavia, quando Tom vai a Londres cuidar da encenação de uma de suas peças, George e Gilda tornam-se amantes. Alertado por Max, o empresário patrão de Gilda, Tom retorna a Paris e descobre que o casal mudou-se para uma cobertura. Quando George vai a Nice pintar um retrato, Tom e Gilda envolvem-se romanticamente. O choque entre os dois amigos é inevitável e Gilda, cansada de tudo aquilo, resolve aceitar a proposta de casamento de Max.
Classificação: 12 anos
ESTREIA | 06.07, SEXTA às 19H 
Dir: Pablo Giorgelli                                             (Argentina/Brasil, Ficção, 2017, 1h30)
Ely tem 17 anos, está no ensino médio e trabalha num pet shop no bairro da Boca em Buenos Aires. Ao descobrir que está grávida, seu mundo interno colapsa. Ela tem que tomar uma decisão que mudará sua vida para sempre.
Classificação: 14 anos
Dir: Giuliana Heberle, Helena Lukianski                           (Brasil, Ficção, 2017, 15min)
Clara é avisada que Rafael saiu do coma depois de cinco anos. Cada um dos dois enfrenta a situação de maneira diferente, porém, Clara sempre mais séria e pessimista, e Rafael, despreocupado. Há uma incomunicabilidade mútua que gera mal estar. 

O fim do Recreio

No Congresso Nacional, um projeto de lei pretende acabar com o recreio escolar. Ao mesmo tempo, em uma escola municipal de Curitiba, um grupo de crianças pode mudar toda essa história.

Recheado de vibrantes brincadeiras infantis, O Fim do Recreio é um curta-metragem para todos os públicos, que bota a boca no trombone e avisa: cobra parada não come sapo! Prêmios:

– Foi o grande vencedor da 11ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis, escolhido pelo Júri Oficial e pelo voto do público infantil

– recebeu um Prêmio Aquisição da TV Brasil – Escolha do Júri Popular na 14ª Mostra de Cinema de Londrina

– recebeu um Prêmio Aquisição da RPC TV

– Melhor filme pela crítica e pelo público no XI Araribóia Cine

– Festival de Niterói.

Participações:

– Curta como quiser 2012

– 9 º Amazonas Film Festival

– Instituto Cultural Cinema Brasil

– 9ª Mostra Cinema Popular Brasileiro

– 22º Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro

– 6ª Mostra CineBH

– 2ª Mostrinha de Cinema Infantil de Vitória da Conquista – Bahia

– 14ª Mostra Londrina de Cinema

– 14º Festival Internacional de Curtas de BH

– Mostra dos filmes da Lei de Incentivo à Cultura

– Fundação Cultural de Curitiba

– 23º Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo

– 10º Festival Internacional de Cinema Infantil – FICI 2012

– Festival Chico – Palmas –

7ª Mostra Audiovisual de Cambuquira – MOSCA

– 11ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis

– 7ª Mostra de Cinema de Ouro Preto – CINEOP – Democracine 2012 – Porto Alegre www.parabole.com.br

FICHA TÉCNICA

Personagens:

Felipe: Weslei Eduardo Alves de Lima

Cleber: Jackson Thierry do Nascimento Neres

Pedro: Enzo Tommasi

Senador: Vinicius Mazzon

Apresentadores dos telejornais: Gustavo Horn

Voz de manchete de jornal: Nélio Spréa

Diretora: Kátia Horn

Inspetora: Greice Barros

Professora: Luana Godinho

Direção Vinicius Mazzon e Nélio Spréa

Assistente de direção Rafael Martins Roteiro Vinicius Mazzon e Nélio Spréa

Edição Vinicius Mazzon e Gustavo Horn

Animação Gustavo Horn

Direção de fotografia Lucas Rachinski

Trilha Sonora original Ale Age

Produção Parabolé Educação e Cultura

Coordenação de produção

Celeste Fernandez

Equipe de produção

Rafael Martins

Pietro Rosa

Vinicius Mazzon

Nélio Spréa Gustavo

Yuki Miyakawa

Renata Melão

Pesquisa de jogos e brincadeiras

Nélio Spréa

Direção de arte

Fabiola Bonofiglio

Câmera

Lucas Rachinski

Assistente de câmera

Gustavo Yuki Miyakawa

Design de som

Rafael Puppi, Nélio Spréa e Luigi Castel

Captação de áudio

Luigi Castel e Valderval de Oliveira

Maquiagem

Isa Todt

Colorista

Lucas Rachinski

Sugestões de filmes: Federico Fellini

Fellini sem dúvida é um dos meus cineastas favoritos de todos os tempos e por isso, resolvi indicar alguns dos filmes que mais me marcaram, dentre tudo que consegui assistir dele ou em parceria com outros cineastas. 

A Doce Vida (1960): “Roma, início dos anos 60. O jornalista Marcello (Marcello Mastroianni) vive entre as celebridades, ricos e fotógrafos que lotam a badalada Via Veneto. Neste mundo marcado por um vazio existencial, frequenta festas, conhece os tipos mais extravagantes e descobre um novo sentido para a vida.” Um dos maiores destaques é a cena em que Anita Ekberg toma banho na Fontana de Trevi. O filme trouxe pela primeira vez o termo paparazzi.

Noites de Cabíria (1957): Esse é o mais sensível dos filmes fellinianos. O filme conta a história de Cabiria, uma romântica prostituta que esta sempre em busca do amor, mas é constantemente humilhada. Um filme tragicômico que traz momentos fantásticos da vida dessa mulher que não desiste de sonhar. Giuletta Masina aparece em sua melhor performance, recebendo o prêmio de Melhor atriz no Festival de Cannes. O filme ganhou o Oscar de Melhor filme estrangeiro.

Roma de Fellini (1972): Um passeio pela capital italiana, sob os olhos de Federico. Parte autobiográfico, é um filme poético sem um enredo muito claro. Destacam-se a participação de Gore Vidal, Alberto Sordi e Marcello Mastroianni. oma venceu o Grande Prêmio Técnico no Festival de Cannes e foi nomeado para Melhor Longa Estrangeiro no Globo de Ouro.

Ensaio de Orquestra (1978): No que era a antiga capela da Roma medieval, um oratório recebe as performances de uma orquestra musical. As competições internas e as hierarquias que existem dentro do grupo de instrumentistas são postas em evidência quando estes são entrevistados por uma equipe televisiva presente no local.

ensaio de orquestra01.jpg

Amores na cidade (1953): Comédia dramática narrada em seis episódios diferentes, dirigidos por cineastas diferentes e que dividem como temática os relacionamentos amorosos.

Casanova (1976): O Amor na Cidade é uma antologia de seis curtas-metragens entre 15 e 30 minutos cada um, organizado pelo roteirista e escritor Cesare Zavattini com o objetivo de mostrar o autêntico amor em Roma sob as lentes neo-realistas de cineastas italianos de proeminência na época.

Abismo de um sonho (1952): Um casal recém-casado chega a Roma para a lua-de-mel. O marido, Ivan, tem um tio muito influente na cidade, e conseguiu para os dois uma audiência com o Papa, além de ter vários planos turísticos programados. Porém, sua jovem esposa aproveita um momento de descanso para ir a uma produtora de fotonovelas entregar um presente para seu herói predileto, o Sheik Branco, que então a convida para ir ao set de filmagens, fora da cidade. Enquanto isso, Ivan descobre que a mulher sumiu, e têm de inventar algo para que sua família não perceba.

Viagem à Lua (Le voyage dans la lune)

Título Original: Le voyage dans la lune
Ano/País/Gênero/Duração: 1902 / França / Curta / 14 min
Direção: Georges Méliès
Produção: Georges Méliès
Roteiro: Jules Verne e Georges Méliès
Fotografia: Michaut

Link para filme completo em Português.

Este curta-metragem de Georges Melies mostra uma das visões fantasiosas que os homens possuíam da Lua nos primeiros anos do século XX. Uma expedição formada por corajosos homens vai para o satélite da Terra, onde encontra seres nada amistosos, são capturados e devem fugir para retornar ao nosso planeta.

Um filme realmente incrível! Trilha sonora de Air.